PLANO_DE_FUNDO_PROJETO_COGUMELOS_BIOLUMINESCENTES.IMG_0120-3.jpg

PROJETO
COGUMELOS BIOLUMINESCENTES

Cogumelos bioluminescentes são cogumelos que emitem luz verde (comprimento de onda de 520-530 nm), originada de um processo químico que ocorre em suas células.

Mycena fera.HENRIQUEDOMINGOS.IPBio.IMG_2977ESCURO.JPG

Existem aproximadamente 105 espécies de cogumelos bioluminescentes no mundo, embora este número esteja aumentando gradativamente à medida que novas espécies são encontradas. O Brasil detém um total de aproximadamente 29 espécies (algumas aguardando confirmação de identificação) e 27 dessas espécies ocorrem em nossa região na Mata Atlântica. Isso faz da nossa região a área com a maior concentração de cogumelos bioluminescentes do mundo.

Programa de Cultivo

Cogumelos bioluminescentes só são abundantes durante o verão, quando as condições úmidas são favoráveis ao seu desenvolvimento. O IPBio deseja desenvolver um protocolo que nos permita cultivá-los em laboratório sob condições controladas, para que estejam sempre disponíveis durante todo o ano. Isso permitiria aos pesquisadores estudá-los por períodos mais longos e aos alunos em viagens escolares para visualizar os cogumelos durante as viagens de inverno, quando não crescem naturalmente.

Banco de Cultura

Ao isolar as culturas de fungos bioluminescentes, podemos construir um banco de espécies bioluminescentes do PETAR e Iporanga. Estas culturas servirão para preservar as espécies e realizar estudos sobre a evolução da bioluminescência no reino dos Fungos através do sequenciamento de DNA das regiões “ITS / nLSU” (classificação taxonômica), bem como do gene específico “luciferase”, via extração de RNA. Este estudo é crítico para entender a evolução e o surgimento de fungos bioluminescentes na Terra.

eBook

O IPBio gostaria de produzir seu segundo eBook sobre cogumelos, chamado “Cogumelos da Mata Atlântica”, que seria uma continuação do eBook “Aves da Mata Atlântica”, que alcançou 26.000 downloads.

Museu da Bioluminescência

Os cogumelos bioluminescentes atraem muita atenção devido à sua aparência impressionante. Sua capacidade de inspirar curiosidade lhes dá grande apelo turístico. Este potencial turístico pode ser um catalisador para o desenvolvimento econômico em uma região com alto nível de pobreza. Além disso, o turismo poderia ser usado como uma ferramenta para a educação de conservação, por meio de interessantes e ensinando o público sobre nossas maravilhas naturais.

Assim, o IPBio planeja construir um “Museu de Bioluminescência”, onde os visitantes entram em uma sala escura interna que contém um jardim de cogumelos bioluminescente. O visitante será guiado por um biólogo que explica: os fenômenos da bioluminescência; o significado de Vale para a biodiversidade da Ribeira, bem como os fundamentos da química e biologia dos cogumelos. À medida que o turista sai, pode visitar nossa loja, que conterá lembranças temáticas bioluminescentes, como camisetas brilhantes, e poderá comprar um cogumelo ornamental bioluminescente para levar para casa.

Espécies do IPBio

Inventário de Cogumelos Bioluminescentes: Em 2017, haviam 17 espécies conhecidas no Brasil com 15 espécies descritas para Mata Atlântica. O IPBio se dedicou à buscar novas espécies de cogumelos bioluminescentes, encontrando um total de 12 novas espécies para Mata Atlântica, que estão sendo analisadas e podem ser espécies ainda não descritas.


Inventário de Cogumelos Não-Bioluminescentes: O IPBio também realiza um inventário geral de cogumelos, incluindo espécies não-bioluminescentes, e estuda as flutuações sazonais e as condições climáticas que lhes permitem frutificar na natureza.
 

Abaixo, veja imagens de algumas espécies de nossa região.

Modelo 3D Interativo

Mycena luxaeterna – Simulação dia

Modelo 3D Interativo

Mycena luxaeterna – Simulação da noite

lab-125x150.jpg

The Laboratory of Fungi Bioluminescence of USP Chemistry Institute

Cassius Vinicius Stevani, professor da Universidade de São Paulo, reconhecido mundialmente por sua experiência em bioluminescência fúngica, estabeleceu uma parceria com o IPBio para pesquisar cogumelos bioluminescentes no Vale do Ribeira.