ORGANISMO_BIOLUMINESCENTE_Neoceroplatus betaryiensis.IPBio.IMG_2642.JPG

PROJETO NEOCEROPLATUS

Primeiro organismo terrestre com bioluminescência azul encontrado em toda América Latina, publicado na Scientific Reports

PROJETO_Neoceroplatus betaryiensis.IPBio.DSC01937.jpg

Recentemente, os biólogos do Instituto de Pesquisas da Biodiversidade observando os cogumelos bioluminescentes à noite, fizeram mais uma importante descoberta inédita para a ciência. Encontraram larvas de uma espécie de mosquito que emitem luz azul, trata se do primeiro organismo terrestre com bioluminescência azul encontrado em toda a América Latina.

Trata-se de um díptero (mosquito), que emite luz azul na fase larval. Por se tratar de uma espécie nova, até então desconhecida pela ciência, os autores homenagearam o IPBio conferindo o nome científico Neoceroplatus betaryiensis, em alusão ao fato da espécie ter sido encontrada pela primeira vez na Reserva Betary, uma unidade do instituto, em Iporanga, sul do estado de São Paulo. O artigo chamado “Neoceroplatus betaryensis nov. sp. (Diptera: Keroplatidae) is the first record of a bioluminescent fungus-gnat in South America” foi publicado em conjunto com parceiros acadêmicos da UFScar – Universidade Federal de São Carlos, UEPG – Universidade Estadual de Ponta Grossa e do Instituto de Química da USP – Universidade de São Paulo.

 

Essas pequenas larvas, com menos de 2 cm de comprimento, possuem 3 órgãos que emitem luz, dois na cabeça e um na cauda. Essa descoberta despertou um grande interesse nos especialistas em bioluminescência no mundo inteiro. Todo esse trabalho é realizado na Reserva Betary, em Iporanga, onde um grupo de pesquisadores e voluntários se dedica ao estudo de organismos bioluminescentes da Mata Atlântica com apoio das universidades envolvidas.

Mini-documentário sobre as espécies bioluminescentes encontradas na Reserva Betary, em Iporanga – SP.

Nossos Desafios

Inventário de espécies

Os biólogos do IPBio vem realizando coletas sistemáticas de larvas e adultos de dípteros relacionados com o Neoceroplatus Betaryisenses.

Estudo ecológico e ciclo da vida

Através de pesquisas de campo e da criação em ambientes controlados os pesquisadores do IPBIO vem procurando esclarecer aspectos relacionados ao ciclo de vida e ecologia do Neoceroplatus Betaryienses.

Criação em condições controlodas do Neoceroplatus

Visando à conservação ex situ e a produção de material biológico para pesquisa dos mecanismos relacionados a bioluminescência do Neoceroplatus betaryiensis pelas equipes parceiras, o IPBio vem desenvolvendo metodologias para criação desses organismos.

lab-125x150.jpg

Laboratório de Bioluminescência de Fungos do Instituto de Química da USP

ufscar-150x109.jpg

UFScar - Universidade Federal de São Carlos